Embaixador

Embaixador Priolo Cup 2018

Armando Gonçalo de Medeiros Fontes

Armando Gonçalo de Medeiros Fontes, nascido a 18-01-58 em Vila Franca do Campo, começa por dar os primeiros pontapés na bola na Rua 24 de Junho com os colegas e amigos que moravam na mesma zona, o que geralmente se fazia na altura, visto não haver escalões de formação na zona onde residia.
A Associação de Futebol de Ponta Delgada abriu uma exceção permitindo a sua inscrição na equipa de júniores do Desportivo de Vila Franca, onde permaneceu duas temporadas. Aos 17 anos de idade transitou para o escalão sénior, onde continuou a distinguir-se como goleador. Nesse ano, o Desportivo de Vila Franca sagrou-se campeão da I Divisão da Associação de Futebol de Ponta Delgada.
Os êxitos obtidos pelos “Pretos” ficaram a dever-se, em grande parte, ao talento de Armando Fontes, que não passou despercebido, na altura, à melhor equipa do futebol açoriano – o Lusitânia de Angra de Heroísmo.
Na época de 78/79, Armando Fontes transitou para o Sporting Clube Lusitânia, como profissional B, onde deu seguimento à sua ascendente carreira.
Naquela época, o Lusitânia sagrou-se não só campeão da Terceira, como campeão dos Açores, o que fez com que a equipa terceirense ascendesse à terceira divisão nacional, sendo a primeira equipa açoriana a militar num campeonato nacional.
O talento e as exibições de Armando Fontes não passaram despercebidos aos maiores do futebol português e, na época de 79/80, com 20 anos de idade, ingressou, como futebolista profissional, no Sporting Clube de Braga, onde permaneceu por 8 temporadas.
Enquanto ao serviço da turma bracarense, representou a Seleção Nacional de Esperanças por cinco vezes, foi chamado à Seleção Nacional A que disputou o Campeonato Mundial do México.
Durante os anos que representou o Sporting de Braga, a equipa minhota apurou-se por três vezes para competições da UEFA, nas épocas de 79/80, 82/83 e 84/85, e foi finalista da Taça de Portugal (com o Sporting) na época de 82/83.
Na época de 87/88, Armando Fontes passou a representar o Desportivo de Chaves, contribuindo de forma decisiva para que a equipa flaviense terminasse o campeonato da I Divisão num honroso quinto lugar, o que a levou a participar, pela primeira e única vez, numa prova europeia.
Na época de 88/89 regressou a São Miguel, ingressando no Desportivo de Santa Clara, onde jogou por três temporadas, até pôr fim à sua carreira como futebolista profissional. Armando Fontes continuou, todavia, ligado ao futebol, não como praticante, mas como treinador, continuando a somar êxitos. Iniciou a carreira de treinador na Santa Clara, onde permaneceu durante 1 ano. Transitou seguidamente para Clube Operário, da Lagoa. Como técnico da turma lagoense, ganhou tudo o que havia para ganhar, levando a equipa a ingressar, pela primeira vez, no campeonato nacional da 3ª divisão, feito que conseguiria também como treinador do Clube União Micaelense.